<$BlogRSDUrl$>
Universos Assimétricos

Uma História de Agressão

28.7.05

Ah! 

Águeda

Ah! Das águas límpidas sob a folhagem dos amieiros – o remanso!

Ah! Na frescura dos regatos a correr por entre os seixos – o descanso!

posted by perplexo  # 15:08
Comments:
Ah! Isto é um paraíso! Bom descanso!
 
Pela foto... descansa o corpo e a alma!

Boa continuaçom...

Um abração do
Zecatelhado
 
O meu blog encontra-se "interdito" pela Netcabo. Viva a liberdade!
 
Quando voltas?
 
Obrigado a todos. Boas férias para vocês, também. Até meados de Setembro.
 
Excelentes férias, é o meu desejo.
Espero que a fotografia documente um rio não poluído (coisa rara nestes dias no nosso país)
 
Enviar um comentário

25.7.05

Best of... Julho de 2004 

Viva o Sacanavenense
Desde que o Homem descobriu que a união faz a força, inúmeros grupos de interesses comuns foram criados, desde grupos de caça até às modernas corporações: partidos políticos, sindicatos, ordens profissionais, clubes. Isso, permite atingir objectivos que um só homem não conseguiria. Começam por ser associações de auto-defesa e tornam-se, às vezes, empórios de poder sectorial e de pressão.
Mas há preços a pagar. Um dos aspectos que considero mais perversos é a defesa de comportamentos corruptos e/ou incompetentes. A corporação tem a tendência para defender o seu membro, mesmo que seja um tratante. Entende que alguma penalização só deve ser dada por si, corporação. E os seus membros têm geralmente uma grande tendência para desculpabilizar o seu correligionário: hoje defendo-te eu, amanhã defendes-me tu. Vê-se isso entre os médicos, os advogados, os políticos, os jornalistas, em todo o lado. Só em raros casos «indefensáveis» é que então a corporação, para defesa própria, vem «ajudar à festa», ajudando a enterrar o prevaricador.
O paradigma extremo das associações de auto-defesa é a Máfia.
Ai do que esteja fora da corporação. Está só. Se «meter o pé na argola, está feito»

Comments:
Bem!
Fixe o título com a marchinha do Luís Cília.


Um abração do
Zecatelhado
 
Essas corporações que nomeou contituem em Portugal a 2ª Divisão.
Na primeira estão as chamadas organizações secretas, mas que eu prefiro chamar "sinistras", tais como a Maçonaria e a Opus Dei.
As da 2ª Divisão suportam-se bem - todos nós sabemos quem é médico, advogado, professor, benfiquista, etc e tal. Mas desconhecemos quem é o Juiz da Opus Dei, o Policia judiciária da Maçonaria que nos investigam e punem.
 
Enviar um comentário

24.7.05

Sapos vivos 

Não me obriguem, outra vez, a votar no Mário Soares. Ainda tenho a boca a saber a gosma.
A sério: deixem lá o homem gozar a reforma!

Comments:
E se o homem for eleito, corremos o risco de ter, dentro de algum tempo, uma catrefada de chefes de estado em Lisboa.
Para virem ao seu funeral.
É que cinco anos é muito tempo para aquela idade!
 
Enviar um comentário

22.7.05

Conselhos para as férias 

Se és moreno, não passes férias em Londres.
Se passares férias em Londres, não andes de Metro.
Se andares de Metro, não leves mochila ou roupas volumosas.
Se levares mochila ou roupas volumosas, não corras.
Se correres…

não digas que não te avisaram.

Comments:
Excelentes conselhos! Isto de se ser moreno - que é o mesmo que mouro - tem os seus riscos...
 
Vou segui-los à risca... é que nem duvides!
 
Excelente!

Um abração do
Zecatelhado
 
Enviar um comentário

21.7.05

Ataque ao Partido Socialista 

Odivelas

Este painel está colocado sobre um passeio, a cerca de 1,65 m de altura, numa zona onde passo, às vezes. Achando que a pequena altura a que o painel se encontra do solo constituía um perigo para os transeuntes, enviei um mail para a Junta de Freguesia a pedir a alteração da posição do painel ou a sua remoção: - nada. Tentei enviar um mail para a secção local do PS – não tem endereço de e-mail. Tentei ligar por telefone: ninguém atendeu. Enviei um mail para o PS central de Lisboa: - nada. Liguei para a Câmara: - aleluia! A telefonista prometeu comunicar o assunto a alguém de direito. Passados dias, voltei a ligar e a mesma senhora, desvelando-se de simpatia prometeu insistir, mostrando-se surpreendida por o assunto ainda não estar resolvido, já que a Junta de Freguesia dera mostras de conhecer o assunto.
Muitos dias já se passaram desde que iniciei este processo. Hoje, no café da zona, ouvi uma conversa de alguém ainda mais chato que eu: fora à Junta – disseram que era com a Câmara. Foi à Câmara – disseram que era com o PS. Foi ao PS – estava fechado. Desistiu, percebendo que todos se descartam e assegurando que a Polícia também se descartaria. Fiquei com a sensação que este painel corre o risco de sofrer um acidente uma noite destas.
(É curioso, que o painel já foi grafitado e já está limpo outra vez. Alguém se preocupou em limpar a face da moça mas não se preocupou com a cabeça da malta).
Esta foto é o meu protesto e a continuação da minha guerra contra um painel perigoso para os transeuntes, da responsabilidade do maior partido português. Dele devia vir o exemplo.

Nestas diligências percebi que:
A Junta de Freguesia não responde a e-mails.
A maioria das secções do PS espalhadas pelo país não tem endereço de e-mail, nem gravador de chamadas.
A sede do PS não responde a e-mails nem trata das queixas sobre assuntos que dizem respeito ao PS.
Há uma incerteza generalizada sobre a quem cabe a fiscalização sobre painéis eleitorais colocados na via pública.

Possivelmente o PS não tem qualquer culpa na colocação dum painel a tão baixa altura sobre a via pública. Possivelmente contratou uma empresa de vão-de-escada que até utiliza suportes ferrugentos e destrói passeios. Mas é ao PS que devem ser assacadas responsabilidades e não devia tentar ignorar o assunto.

Se alguém souber quem devo chatear a seguir, diga!


Comments:
Eu apresentaria queixa à polícia.
 
PARTAM ESSA MERDA À MARRETA!

Um abração do
Zecatelhado
 
Eu apelaria à ignorancia retiraria o painel e recolocá-lo-ia, à mesma altura, em frente à câmara municipal.
Talvez assim...
 
Eui não sei como há gente como mis de metro e meio que ainda vota no PS. Toda a gente sabe que, tirando o Marques Mendes, todas as pessoas inteligentes tem acima de 1,65cm! E o PS é um partido que pretende cortar as cabeças para depois fazer reformas e colocar professores, ou fazer aeroportos novos e comboios ultra-sónicos!
Não deixem!! Votem no partido dos mais altos (tirando o Marques Mendes, claro!)
 
Hey!
Calma lá!
Os outdoors de Campanhas eleitorais, são locados em locais «ditos» pelas Autarquias locais, nomeadamente as Câmaras Municipais.
De facto, o teres ido ao PS - Nacional, não te valeu de nada, porque esse outdoor é relativo às AUTARQUICAS. E como tal, a Nacional, atribui vermas monetárias às Autarquias para serem empregues nas Campanhas às Assembleias de Freguesia e Assembleia Municipal.
Por isso, resumindo...
Se o outdoor está nesse local, esse foi o local indicado pela Câmara Municipal;
Se está demasiado baixo, e o problema se dever à firma, a firma é também contrada pelas estruturas locais do partido, podendo ser OU NÃO, a mesma que trabalha para a Nacional.

Sr. Mostrengo, já que ataca o PS, deixe-me perguntar-lhe se as autarquias geridas pela CDU estarão assim tão boas???
Ou se acha que o representante de Portugal na Comissão Europeia (que por sinal é um dos primeiros das fileiras do PSD) está a fazer figura que dignifique este país???

Assim sendo, espero que de agora em diante, se modere nas «criticas» generalizadas que não se aplicam a todas as pessoas, sejam de que partido sejam, sejam como forem.
Há intiligentes de meio metro e BURROS de um metro e setenta e nove. Não sei se será esta a sua altura, mas se for, então acertei na muche, porque o seu comentário foi de todo racional e digno de uma pessoa informada que vive no Séc. XXI
 
bem eu faço parte deste concelho e vejo que o PS cá só tem feito trampa a começar por esse cartaz e a acabar na enorme quantidade de cartazes espalhados por todos o concelho que até mete nojo , inda por cima o raio da mulher não é nada boa de cara,lol, mas já ando farto de ver a mulher em todo o sitio , inda por cima ela nao tem nada a ver kom as minhas inclinaçoes ideologicas, odivelas parece uma feira publicitaria, para além de termos que levar kom a poluição visual temos também de levar com os cartazes na cabeça... onde iremos parar...
 
Por causa da campanha temos a cidade infestada.. é pena pois no verão, uma altura onde se gostaria de passear com os familiares e amigos, se tem o concvelho cheio de merda publicitaria a estrovarnos o caminho.
A susana amador n tem culpa disto, o PS (nacional) tem muito pouca mas o sr Peixoto e a famelga toda aqui de Odivelas que são uns mete nojo - UMAS PROSTITUTAS POLITICAS - têm muita culpa pois os locais de afixação dos outdoors são previamente seleccionados pela CPC de cada partido. Moral da Historia - O peixoto e os amigos socialistas de odivelas n têm respeito por ninguem!
 
Enviar um comentário

19.7.05

Reciprocidade 

Com a devida vénia, transcrevo este post do http://novafloresta.blogspot.com/

E então Alberto João?
Qual seria a reacção de Alberto João Jardim se Hugo Chávez ou Thabo Mbeki fizessem estas hipotéticas declarações!

“Venezuela está sujeta a la concurrencia de los países no latino americanos, los madeirenses están entrando por nuestro país dentro y los países de Europa a hacer concurrencia con Venezuela…”“¿Me estas haciendo uña señal por qué coño? ¿Que hay madeirenses aquí? Es mismo bueno que ellos miren que no los quiero por acá” Ha dicho a la prensa el nuestro bien amado e idolatrado Presidente Hugo Chávez.

“South Africa his facing the concurrence of non-African countries. The people from Madeira Island are coming into South Africa… Are you making that signal why? Are there any people from Madeira Island over there? Is good that they can see, because I don’t want them here” Stated today to the press Mr. Mbeki.


Comments:
Tá muito bem. Lá diz o ditado: «quem casa quer casa»! Que é isso de uns andarem a viver na casa dos outros?
 
Dá-se mais importância a esse meco que a que merece!
 
Enviar um comentário

17.7.05

Pessoalmente 

Fallujah

Soldados americanos a entregar a democracia aos iraquianos, pessoalmente.

Comments:
Soldados americanos?! E eu a pensar que eram terroristas!?...
 
Enviar um comentário

15.7.05

Agosto silencioso 

Os chefes de Estado ocidentais, assim como muitos cidadãos em muitas cidades ocidentais cumpriram, dia 14, dois minutos de silêncio pelas vítimas inocentes dos bombistas de Londres. Muitas entidades do mundo muçulmano, já que ninguém faz silêncio pelos seus mortos, querem propor ao mundo muçulmano um período de silêncio de 3 dias, tendo em conta os mais de 100.000 mortos inocentes no Iraque e salvaguardada a respectiva proporcionalidade. Alguns regimes africanos começam já a ficar apreensivos temendo que os cidadãos dos seus países, para honrar os seus mortos, façam um mês de silêncio.

Comments:
Apoiado! Bravo! (Pssssiuuu!)
 
Que irá decretar a Santa Sé?
 
A continuar a fazer-se silêncio em honra dos inocentes que foram (e continuam a ser) mortos por bombistas, não tarda nada, o mundo emudece de vez!
 
se houvesse "vergonha na cara" quem ainda por cá anda calava-se... sei lá...
 
Enviar um comentário

14.7.05

Encontro marcado por terceiros 

Nos velórios acontece algo que parece incorrecto mas é tão humano: as pessoas rapidamente passam dum ar pesaroso inicial para uma bem-disposta cavaqueira, quando não deixam escapar mesmo uma risada. Apesar de todo o respeito sentido, estabelece-se geralmente alguma algazarra surda. Com o nosso viver citadino em que a grande família está dispersa e raramente se vê, estas são ocasiões de encontro, de rever e gostar de rever quem há tanto tempo não se vê. Após o desconforto de dar e receber pêsames, sobrevém o encontro. A situação de fragilidade que todos experimentam, e não só os familiares mais chegados do falecido, ajuda a essa posterior «explosão» contida de alegria. É uma festa de vivos. A vida continua para os que ficam.

Comments:
Mas às vezes a memória assalta as pessoas lembramdo a razão dos reencontros e a cara volta novamente a ter um ar carregado. Mas é por pouco tempo, felizmente...ou infelizmente.
 
Enviar um comentário

12.7.05

Iraq 2003 to 1/2005: The Costs - Data and Victims 

Total USA troops in Iraq 137,000
Total UK troops in Iraq 11,000
Total non USA - UK troops in Iraq 15,500
Sorties flown by USA - UK 20,753
Cruise missiles launched (at a cost of $1 million each) 800
Precision guided ("smart") munitions used 18,467
Non-guided ("dumb") munitions used 9,251
Cluster bombs used
(each breaking into 200 bomblets - 5% fail to explode on impact) 900 +
Authorised strikes against media facilities 10
Number of mines in Iraq 8 million
Iraqi military deaths 6,370
Iraqi civilian deaths 98,000 +
Iraqi civilian injuries (Baghdad) 8,000 +
Iraqi civilians missing (Baghdad) 1,000 +
Kurdish deaths 75 +
USA - UK military deaths (during the invasion) 137
USA - UK military personnel missing (during the invasion) 4
USA - UK military personnel injured (during the invasion) 473
Missing or dead journalists 30
Iraqi prisoners of war 9,000 +
USA - UK military personnel killed after end of invasion (1 May 2003) 1, 428 +
USA military personnel wounded 5,140
UK military personnel wounded 2,754
Non USA - UK - Iraqi military personnel killed after end of invasion (1 May 2003) 39
Cost of war to USA $126,100 million
Number of oil wells under USA and UK control 900
Cost of the 1200 USA-appointed Iraqi Survey Team (looking for weapons) $300 million
Percentage of population that had access to safe water before the invasion 85%
Percentage of population that now has access to safe water 60%
Number of weapons of mass destruction found 0

Number of military funerals attended by the USA president, George W Bush 0


Comments:
É a eterna luta do Bem contra o Mal. Mata-se e destrói-se em nome da democracia, da libertação de um povo oprimido. Os EUA, guardiães do Bem, invadem Estados independentes para os livrar do Mal. A sua generosidade é de uma ordem de grandeza tal que, depois de muitas vidas destroçadas e de muitos estragos causados por uma guerra necessária ao combate do Mal, as suas multinacionais vão reconstruir e modernizar esses Estados em troca de algo de somenos importância, algumas matérias-primas como, por exemplo, o petróleo.
 
Da "pax romana" à inquisição e aos tempos actuais a diferença é...

O armamento e os media!
 
Mas isto é um verdadeiro sucesso!
 
Bem e Mal? Creio que sei de quem estão a falar.
 
Enviar um comentário

10.7.05

Cidade inglesa 

Aonde os terroristas levaram o caos e a destruição


London


Cidade iraquiana 

Aonde os países ocidentais levaram a democracia e o progresso


Fallujah


Comments:
Os ocidentais são muito generosos...
são os maiores e os mais evoluídos. Por eles, o mundo seria um mar de rosas...
Lamentável é que os outros não queiram entender que vivem no quintal dos ocidentais onde estão as suas matérias-primas...
 
carago este é cá dos meus!!!!!!!!!!!!
 
Enviar um comentário

9.7.05

Nada justifica 

Nada justifica estas acções terroristas, nada.
Nada justifica as acções do Bush e do Blair, nada.

Infelizmente, as enormíssimas reacções da opinião pública e as discussões e reflexões que provocam, demonstram, ai de nós, que os terroristas estão a utilizar a forma de guerra mais adequada aos seus interesses e quiçá, ao fim da guerra através de negociações. Poucas acções, poucas vítimas (em comparação com as que o Ocidente provoca), máxima controvérsia. Em última análise é uma estratégia bélica suave, cirúrgica, como o Ocidente gosta de dizer. Em vez de atacarem os dirigentes máximos, poupam-nos para terem interlocutores com quem negociar, ao contrário do Ocidente que procura destruir os dirigentes adversários.
Atenção, estamos a falar de resultados. Não é o neo-liberalismo ocidental que é adepto dos resultados a todo o custo?

Comments:
Tudo justifica a acção desses terroristas que nomeias! De que outro modo conseguiam instalar o pânico e ter o apoio dos basbaques ignorantes para irem surripiar as matérias-primas?! Ah, e já agora, se não houvesse terroristas do "outro lado" como é que fomentavam as guerras e ganhavam enormes fortunas com a indústria do armamento?! E, ainda mais, como é que os abutres, a que dão o nome de grandes empresas, conseguiam capitalizar ainda mais?!
Os terroristas fazem muita falta... É um excelente negócio!
 
Bem visto!
 
Alguém precisa de mim?
 
pois, infelizmente o anónimo tem razão! :(
 
Enviar um comentário

8.7.05

O conceito de inocência 

Todos clamam que esta acção cobarde em Londres fez vítimas inocentes. Certamente, mas é preciso relativizar. Qual o nível de inocência dos que reelegeram Bush e Blair? Quando os reelegeram já sabiam como aqueles governantes procediam e os crimes que tinham cometido. E, no entanto, reelegeram-nos. Reeleger criminosos não torna os seus votantes em cúmplices das acções anteriores? Não os torna, de certa forma, co-autores das acções presentes?

Porque é que chamamos inocentes às vítimas de Londres e não chamamos inocentes às vítimas de Fallujah?

Esta posição que este post reflecte é típica duma certa faixa política, mas não só dessa. Cada vez que se defendem as acções musculadas dos países ocidentais, logo esta faixa se põe a lutar para que não se olhe só por um ponto de vista. Que canseira! O debate que interessa, perde-se. Uns afirmam, os outros, antes de afirmar ou negar, tentam relativizar, encontrar um máximo denominador comum. Enquanto não formos equânimes nos nossos julgamentos não estaremos a falar das mesmas coisas e a chamar os bois pelos nomes. Enquanto não conseguirmos pôr-nos de fora, distanciar-nos, não conseguiremos fazer juízos claros, justos - os únicos que interessam. Julgarmos pelos nossos valores manipulados, que nem direito a toda a informação temos, leva-nos ao fundamentalismo, a uma única visão – a do nosso grupo geo-económico-estratégico.

7.7.05

Poucas esperanças 

Aconteceu hoje o 7 de Julho em Londres e as baboseiras enchem os televisores.
Todos condenam, mas alguns sentem-se intimamente satisfeitos por o tubarão imperialista ter sido atingido numa barbatana.
Outros persistem nas declarações bélicas de «We shall prevail», sabendo que não conseguem eliminar a ameaça terrorista. Parecem querer acreditar que conseguem eliminar um fluxo crescente de decididos combatentes que dispõem duma ideologia que vai buscar forças à religião, lembrando talvez o micro êxito sobre o micro grupúsculo da luta armada alemã – os Baader-Meinhof.
Outros ainda, vendo as barbas do vizinho a arder vão pôr as barbas de molho – reforçam hoje as medidas de segurança. Andam a reinar connosco. Fingem que nos defendem, mas sabem que não o podem fazer. As medidas que tomam não nos defendem, são poeira para os olhos. São incompetentes para nos defender e deviam ter a hombridade de nos dizer isso. Tratam-nos como menores, não nos mostram as imagens, escondem-nos os aspectos desagradáveis. Dão muitos nomes eufemísticos a esta censura, mas não passa disso. Temos em Portugal uma larga tradição nesse campo. Antes do 25 de Abril, não se noticiavam os suicídios. Alguém podia pensar, quiçá, que este não era o melhor dos mundos…

Estou sem pachorra.

Hoje a morte atingiu-nos, atingiu os nossos, os europeus. Acordámos sobressaltados. Habitualmente costumamos cabecear sobre as notícias dos 30 mortos por dia no Iraque. Será que podemos esperar ter uma História separada do resto do Mundo? Ou temos que querer paz também na casa dos outros, em vez de lhes levarmos a guerra?
Quem foi mais sensato, o presidente dos Estados Unidos que mandou lançar bombas atómicas sobre o Japão em oposição aos cientistas atómicos ou o «presidente» do Japão que ordenou a capitulação, em oposição aos seus chefes militares? Ou os beligerantes foram igualmente incompetentes para encontrar uma solução negociada? Esta «bomba atómica» que continuamente lançamos sobre certos países, matando milhares e milhares de pessoas, não conseguiu a capitulação, nem é credível que a consiga. O alvo é difuso, está misturado com as forças «amigas». E, de vez em quando, um kamikaze cai-nos em cima.
Não vou à bola com o troca-tintas do Bochechas mas, neste campo, tenho que reconhecer que foi uma das vozes mais corajosas e clarividentes. Esta guerra que fazemos e sofremos não pode ter uma solução senão pela negociação. E, não nos enganemos, eles, o inimigo, têm algumas fundadas razões de queixa, tantas ou mais que nós temos deles. Enquanto não o reconhecermos e lhes chamarmos apenas terroristas, a paz não está à vista.

Comments:
Este é o único comentário que faço hoje:
(-----)

Amanhã passo por cá.
 
Enviar um comentário

6.7.05

Há uma auto-estrada que passa perto de Lamego, mas não querem que se saiba 

Fui a Lamego. Seguia pelo IP3 e tinha visto no mapa uma auto-estrada a passar perto de Lamego, mas não tinha a certeza que já estivesse transitável. Já perto de Viseu, presumi eu, a via ia indicando Guarda-Vilar Formoso. Quando vi uma saída que indicava Lamego, saí. Depois, andei largos quilómetros por uma estrada secundária até dar com uma auto-estrada que indicava Vila Real. Entrei nela, presumindo que uma auto-estrada que vai na direcção de Vila Real deve ter uma saída, mais perto ou mais longe, de Lamego. Assim é. Uns quilómetros mais à frente, vi a única indicação que relaciona auto-estrada e Lamego – uma placa na auto-estrada (A24) a dizer «Lamego», enquanto existem uma ou duas dezenas de indicações de «Vila Real», «Régua» e outras localidades menores.
Fiquei com a sensação que, embora Lamego seja servida por uma auto-estrada, ninguém quer que se saiba. Acho, também, que no momento em que se indica a saída para uma localidade por estrada secundária, deve existir no mesmo local a indicação que se seguir em frente vai para a mesma localidade, mas por auto-estrada. Presumo que é essa a situação que me levou a perder-me por estradas secundárias. É certo que esta A24 não se paga, mas recuso-me a acreditar que seja por falta de incentivo económico para os organismos estatais que não haja uma informação rodoviária minimamente útil.

Nem querem revelar alguma eventual ligação com o IP3
No regresso, meti pela auto-estrada, claro. Pretendia, por alturas de Viseu, descobrir a ligação para o IP3. Realmente, a certa altura, vi essa indicação, saí, mas cheguei a uma rotunda com 2 saídas. Uma dizia Viseu e a outra indicava um nome duma outra localidade. Nenhuma falava em IP3. Contornei a rotunda até que vi a indicação «Coimbra», mas para a via donde acabara de sair. Voltei então atrás.
(Eu sei que devia ter perguntado ou ter seguido uns poucos quilómetros por uma das vias, depois pela outra e só então ter voltado para atrás, se fosse caso disso).
O que é certo é que na reentrada na auto-estrada A24 estava indicado «Coimbra», para Sul. Lá segui, meio incrédulo, meio surpreendido. Á frente, comecei a perceber que esta Coimbra se devia referir a uma saída do IP5 na ligação com a A1 em Águeda. Quando já só indicava Aveiro para um lado e Guarda e Viseu para outro, virei para Viseu. Atravessei o centro da cidade. Se o golpe é levar clientes para Viseu, lixaram-se, porque não parei. Vários quilómetros depois, lá acedi finalmente ao IP3. Apre!
(É provável que o problema seja meu, que seja eu que sou demasiado totó para circular em estradas portuguesas).

4.7.05

A negligência é um bicho que larga gosma 

GOLRIA INESERSIS DEO


Lamego


GLORIA IN EXCELSIS DEO

Archives

links to this post

Agosto 2003   Setembro 2003   Outubro 2003   Novembro 2003   Dezembro 2003   Janeiro 2004   Fevereiro 2004   Março 2004   Abril 2004   Maio 2004   Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Julho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Junho 2010   Julho 2010   Agosto 2010   Setembro 2010   Outubro 2010   Novembro 2010   Dezembro 2010   Janeiro 2011   Fevereiro 2011   Março 2011   Abril 2011   Maio 2011   Junho 2011   Julho 2011   Agosto 2011   Setembro 2011   Outubro 2011   Novembro 2011   Dezembro 2011   Janeiro 2012   Fevereiro 2012   Março 2012   Abril 2012   Maio 2012   Julho 2012   Agosto 2012   Setembro 2012   Outubro 2012   Novembro 2012   Dezembro 2012   Janeiro 2013   Março 2013   Abril 2013   Maio 2013   Julho 2013   Agosto 2013   Setembro 2013   Novembro 2013   Janeiro 2014   Março 2014   Maio 2014   Julho 2014   Agosto 2014   Janeiro 2015   Fevereiro 2015   Maio 2015   Junho 2015   Setembro 2015   Outubro 2015   Dezembro 2015   Abril 2016   Julho 2016   Setembro 2016   Novembro 2016  

Perdidos no Hiper-Espaço:

Em quarentena (Vírus linka-deslinka):

Desembarcados num Mundo Hospitaleiro:

Pára-arranca:

Sinais de Rádio do Espaço Cósmico:

Tele-transportes:

Exposição Temporária:


referer referrer referers referrers http_referer

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Mail