<$BlogRSDUrl$>
Universos Assimétricos

Uma História de Agressão

30.7.12

Best of... Julho de 2011 


Um mês sem postar... Nunca me tinha acontecido

A situação a que o BPN (Bando dos Partidos de Novembro) nos levou deixou-me de rastos. A disposição não tem sido de postar, denunciar a cambada, alertar os concidadãos. Os concidadãos, pobres deles, votaram no BPN. E não foi por falta de alertas, que – valha-nos isso – já há muitas vozes de todos os sectores a esclarecer a maltosa.

A dívida, com estes prazos e estes juros não teria viabilidade de pagamento completo e atempado. Como pagar juros tão altos e ainda comer?
Aliás, os próprios emprestadores deviam perceber que se querem ser ressarcidos dos empréstimos teriam de renegociar condições de viabilidade, caso contrário arriscavam-se a perder muito. Mais valia ganharem menos de cada vez.

Os estúpidos do BPN – que outro nome? – ainda há 2 dias tinham chumbado uma proposta de tentativa de renegociação (não uma ameaça de incumprimento unilateral) da dívida. Ignorância, preconceito ou desonestidade?

Hoje, finalmente, suspirei de alívio. A Europa baixou o juro do empréstimo e alargou o prazo de pagamento para 15 anos. Esta renegociação pode evitar o desastre, se houver contenção e rigor.
Os especuladores perceberam logo que esta nova situação já é viável, o que se reflectiu imediatamente nas cotações dos juros. São ferozes e ignóbeis, mas não são estúpidos.


Nota de 30/7/12: O meu optimismo de há um ano era infundado. Não houve contenção nem rigor. A dívida pública portuguesa cresceu... 26 mil milhões de euros num ano.

posted by perplexo  # 21:21
Comments:
Em tempos recentes surge mais uma modalidade, o bem sucedido e fantástico desplante de uma nova tipologia do roubo dito “legalizado”; “Assalta-se” um banco, mesmo que seja um privado, acusa-se um predicativo do sujeito e responsabiliza-se o povo que o terá de pagar com a subida descarada dos impostos preparados para o efeito. Juro que eu não fui!
 
Enviar um comentário

29.7.12

Best of... Junho de 2011 


De luto

Há 35 anos que aguentamos partidos de Novembro e respectivas políticas.

Dantes, de cada vez que ganhavam, ficávamos tristes. Depois víamo-los aplicar políticas incompreensíveis como arrancar oliveiras e vinha, destruir barcos de pesca, acabar com importantes sectores industriais, como a metalomecânica pesada, vender ao desbarato o que podia gerar receita para o estado (os sectores produtivos do estado, apetecidos pelos privados), mas acreditávamos que tinham uma filosofia económica, uma teoria produtiva por detrás a garantir que, acabando com a pequena produção e os sectores pouco competitivos e recebendo já grandes verbas pela venda de sectores que só ao fim de anos gerariam mais (muito mais) receita, adviria, por um fenómeno milagroso do capitalismo, sucesso económico para o país.

Não tinham, nada sabiam, copiaram receitas estrangeiras e não as adaptaram ao nosso país, foram saloios e incompetentes, criminosos económicos por negligência e ignorância.

Domingo vou votar vencido, mais uma vez, com vontade de levar uma fita preta no braço, porque sei que os vencedores continuam a acreditar na sua mitomania económica e vão prosseguir na destruição dos sectores produtivos.

14.7.12

Irmão Corleone 


A ideia que eu tinha da Maçonaria era a de uma confraria amante do conhecimento cujos membros, quase sempre ilustres, procuravam pensar a sociedade e idealizar formas de a organizar de uma maneira humanista.

Após os casos do exaustivo espião Carvalho e do falhado estudante Relvas, alterei esta imagem para a de uma associação cujo principal objetivo dos seus membros é a troca de favores mútuos para proveito próprio, ultrapassando os maçadores preceitos éticos da sociedade.

Não sei se estou a ser injusto para um ou outro membro amante da lisura, mas certamente que a desregulação, através da ligeireza nas admissões e do laxismo das normas, já chegou à instituição. Aparentemente, o esquadro tem a escala apagada e o compasso tem o eixo frouxo.

O neoliberalismo corrompe tudo.

Comments:
A Maçonaria entendia-se na luta contra o fascismo e daí a assunção do secretismo!
Hoje em dia apenas faz o papel de lobby!
 
O que eu mais aprecio na democracia é a permissividade de se poderem dizer quase todo o género de disparates com atitude de competência.
 
O Fascismo causou à Maçonaria alguma prisão de ventre da qual veio a resultar a Democracia enquanto expressão da imagem de sua própria concepção de liberalismo.
 
Enviar um comentário

13.7.12

Não há palavras 


Ultimamente, tenho passado por um período como aquele momento que se experimenta quando alguém nos dá uma resposta estapafúrdia, ilógica, desconexa, e ficamos em estupor, "eu não acredito nisto", sem compreender tal descaramento, sem aceitar tal insensatez, parados, sem resposta.
A situação no país e o surrealismo das decisões, das declarações, traumatizam qualquer um.

Comments:
Somos mesmo um país de opereta!
 
Enviar um comentário

12.7.12

Agarrados 


O ideal proclamado do Governo e dos bancos que o apoiam é poder “voltar aos mercados em setembro de 2013”.
Dizem isto sem vergonha, orgulhosos de acreditar que o vão conseguir. E não acrescentam mais nenhum objetivo. “O” objetivo dos responsáveis do país é poder voltar a pedir dinheiro emprestado. Não falam em independência económica, não sonham em viver das próprias receitas; anseiam por gastar mais que as receitas e endividar-se alegremente.

E não se pode interná-los?

Comments:
Temos que ser mineiros asturianos... e exigir mudanças!
 
Temos que ser mineiros asturianos... e exigir mudanças!
 
Temos que ser mineiros asturianos... e exigir mudanças!
 
Enviar um comentário

6.7.12

Vossa Excelência 





Vossa Excelência

Estão nas mangas
Dos Senhores Ministros
Nas capas
Dos Senhores Magistrados
Nas golas
Dos Senhores Deputados
Nos fundilhos
Dos Senhores Vereadores
Nas perucas
Dos Senhores Senadores...

Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Senhores! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Senhores! Corrupto! Ladrão!...

Sorrindo para a câmara
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmaras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!...

Estão nas mangas
Dos Senhores Ministros
Nas capas
Dos Senhores Magistrados
Nas golas
Dos Senhores Deputados
Nos fundilhos
Dos Senhores Vereadores
Nas perucas
Dos Senhores Senadores...

Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Bandido! Corrupto
Senhores! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão!...

– "Isso não prova nada
Sob pressão da opinião pública
É que não haveremos
De tomar nenhuma decisão
Vamos esperar que tudo caia
No esquecimento
Aí então!
Faça-se a justiça!"

Sorrindo para a câmara
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmaras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!...

– "Estamos preparando
Vossas acomodações
Excelência!"

Filha da Puta!
Bandido! Senhores!
Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!...

Composição: P. Miklos, T. Bellotto, C.Gavin

Comments:
O poema bem poderia ter terminado assim:

No entanto, apenas Actores
Quem os empurra os Senhores...
Filhos da Puta!
Bandidos nos bastidores!
etc, etc :)
 
Enviar um comentário

Archives

links to this post

Agosto 2003   Setembro 2003   Outubro 2003   Novembro 2003   Dezembro 2003   Janeiro 2004   Fevereiro 2004   Março 2004   Abril 2004   Maio 2004   Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Julho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Junho 2010   Julho 2010   Agosto 2010   Setembro 2010   Outubro 2010   Novembro 2010   Dezembro 2010   Janeiro 2011   Fevereiro 2011   Março 2011   Abril 2011   Maio 2011   Junho 2011   Julho 2011   Agosto 2011   Setembro 2011   Outubro 2011   Novembro 2011   Dezembro 2011   Janeiro 2012   Fevereiro 2012   Março 2012   Abril 2012   Maio 2012   Julho 2012   Agosto 2012   Setembro 2012   Outubro 2012   Novembro 2012   Dezembro 2012   Janeiro 2013   Março 2013   Abril 2013   Maio 2013   Julho 2013   Agosto 2013   Setembro 2013   Novembro 2013   Janeiro 2014   Março 2014   Maio 2014   Julho 2014   Agosto 2014   Janeiro 2015   Fevereiro 2015   Maio 2015   Junho 2015   Setembro 2015   Outubro 2015   Dezembro 2015   Abril 2016   Julho 2016   Setembro 2016   Novembro 2016  

Perdidos no Hiper-Espaço:

Em quarentena (Vírus linka-deslinka):

Desembarcados num Mundo Hospitaleiro:

Pára-arranca:

Sinais de Rádio do Espaço Cósmico:

Tele-transportes:

Exposição Temporária:


referer referrer referers referrers http_referer

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Mail