<$BlogRSDUrl$>
Universos Assimétricos

Uma História de Agressão

7.1.10

Casamento gay – alguém sai prejudicado? 


No mês passado, a Assembleia da República agendou uma lei sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Além de uma crítica velada do Presidente Cavaco, dizendo que se preocupava era com os desempregados, desenvolveu-se, entretanto, um movimento que reuniu e entregou no Parlamento 90.000 assinaturas a pedir um referendo sobre a questão.

É curioso. Na verdade, talvez fosse o momento de se preocuparem com os desempregados.

Para mim, tanto me faz que seja a Assembleia da República a legislar sobre a questão ou que a decisão seja tomada por referendo. Para mim, todas as decisões poderiam ser tomadas por referendo – as facilidades informáticas isso possibilitariam – infelizmente, isso não acontece, que eu bem gostaria de me pronunciar sobre a decisão de aplicar mais de 2.500 milhões de euros no sorvedouro do BPN. Na altura, nem depois, não vi um movimento com 90.000 assinaturas a pedir um referendo sobre esse desgoverno.

Enquanto não forem os cidadãos a decidir sobre os principais aspectos da governação, não alterem as regras do jogo, referendando, pontualmente, aqueles aspectos que são indigestos para uma banda do Parlamento.

Não sei o que os preocupa. A Igreja nem se devia pronunciar que não se trata de casamentos pela Igreja. É um assunto doutro departamento. Nenhuma outra instituição se deve pronunciar, que é um assunto de âmbito individual. Que interessa a alguém, que dois tipos se casem, ou duas fulanas se casem, desde que sejam adultos imputáveis? O que é que isso interfere com as instituições e o Estado? Fica o Estado defraudado por dois anteriores solteiros apresentarem IRS conjunto? Minimamente.

Por mim, não vejo que alguém saia prejudicado. Por que, então, a resistência?
Que fantasmas se querem exorcizar?

Há quem se preocupe dizendo que pode ser uma moda passageira, como as tatuagens. E que fosse? Também só agora é que há tantas outras coisas para as quais se fazem leis. Quando acabarem, desfazem-se, se necessário.
Eu também não sei se a homossexualidade é genética ou cultural, mas, actualmente, é uma realidade extensa, além de ter uma existência comprovada ao longo dos milénios. Ostracizá-la provoca grande penosidade psíquica e económica para os discriminados. Que o Estado, com uma simples decisão que nada lhe vai custar, possa diminuir essa penosidade, é de saudar, que de decisões contra os cidadãos estamos já todos pelos cabelos.

P.S. (8/1): Com esta aprovação, alguns sectores (os mesmos do abaixo-assinado?) levantam a questão da adopção de crianças por casais do mesmo sexo, aspecto que lhes suscita as reacções mais alarmistas. Tais reacções derivam, parece-me, da confusão abusiva entre homossexualidade e pedofilia.
Não há qualquer prevalência de homossexuais entre os pedófilos. A maioria dos casos lamentáveis de abuso de crianças acontece em famílias heterossexuais.

A família heterossexual não consegue adopções automáticas por ser heterossexual. Os técnicos da Segurança Social é que fazem a avaliação. A eles caberá avaliar os eventuais casais homossexuais candidatos a adopção. A maneira como uma criança é recebida num lar, não depende da orientação sexual do agregado familiar, mas das características sócio-afectivas dos seus membros. São essas que os técnicos avaliarão e sobre as quais decidirão. Não faz sentido ser o Parlamento a decidir por grosso que as famílias homossexuais não têm condições sócio-afectivas para adoptar. Ponto.

posted by perplexo  # 02:16

Archives

links to this post

Agosto 2003   Setembro 2003   Outubro 2003   Novembro 2003   Dezembro 2003   Janeiro 2004   Fevereiro 2004   Março 2004   Abril 2004   Maio 2004   Junho 2004   Julho 2004   Agosto 2004   Setembro 2004   Outubro 2004   Novembro 2004   Dezembro 2004   Janeiro 2005   Fevereiro 2005   Março 2005   Abril 2005   Maio 2005   Junho 2005   Julho 2005   Agosto 2005   Setembro 2005   Outubro 2005   Novembro 2005   Dezembro 2005   Janeiro 2006   Fevereiro 2006   Março 2006   Abril 2006   Maio 2006   Junho 2006   Julho 2006   Agosto 2006   Setembro 2006   Outubro 2006   Novembro 2006   Dezembro 2006   Janeiro 2007   Fevereiro 2007   Março 2007   Abril 2007   Maio 2007   Junho 2007   Julho 2007   Agosto 2007   Setembro 2007   Outubro 2007   Novembro 2007   Dezembro 2007   Janeiro 2008   Fevereiro 2008   Março 2008   Abril 2008   Maio 2008   Junho 2008   Julho 2008   Agosto 2008   Setembro 2008   Outubro 2008   Novembro 2008   Dezembro 2008   Janeiro 2009   Fevereiro 2009   Março 2009   Abril 2009   Maio 2009   Junho 2009   Julho 2009   Agosto 2009   Setembro 2009   Outubro 2009   Novembro 2009   Dezembro 2009   Janeiro 2010   Fevereiro 2010   Março 2010   Abril 2010   Maio 2010   Junho 2010   Julho 2010   Agosto 2010   Setembro 2010   Outubro 2010   Novembro 2010   Dezembro 2010   Janeiro 2011   Fevereiro 2011   Março 2011   Abril 2011   Maio 2011   Junho 2011   Julho 2011   Agosto 2011   Setembro 2011   Outubro 2011   Novembro 2011   Dezembro 2011   Janeiro 2012   Fevereiro 2012   Março 2012   Abril 2012   Maio 2012   Julho 2012   Agosto 2012   Setembro 2012   Outubro 2012   Novembro 2012   Dezembro 2012   Janeiro 2013   Março 2013   Abril 2013   Maio 2013   Julho 2013   Agosto 2013   Setembro 2013   Novembro 2013   Janeiro 2014   Março 2014   Maio 2014   Julho 2014   Agosto 2014   Janeiro 2015   Fevereiro 2015   Maio 2015   Junho 2015   Setembro 2015   Outubro 2015   Dezembro 2015   Abril 2016   Julho 2016   Setembro 2016   Novembro 2016  

Perdidos no Hiper-Espaço:

Em quarentena (Vírus linka-deslinka):

Desembarcados num Mundo Hospitaleiro:

Pára-arranca:

Sinais de Rádio do Espaço Cósmico:

Tele-transportes:

Exposição Temporária:


referer referrer referers referrers http_referer

This page is powered by Blogger. Isn't yours? Mail